Capitais Europeias da Cultura

European Capitals of Culture (ECofC).

Descrição

A iniciativa Capitais Europeias da Cultura destina-se a:

  • Valorizar a riqueza e a diversidade da cultura na Europa;
  • Celebrar as características culturais partilhadas pelos europeus;
  • Aumentar o sentimento de pertença a um espaço cultural comum dos cidadãos europeus;
  • Promover a contribuição da cultura para o desenvolvimento das cidades.

 

Além disso, a experiência tem mostrado que o evento é uma excelente oportunidade para:

  • Regenerar cidades;
  • Elevar o perfil internacional das cidades;
  • Melhorar da imagem das cidades perante os seus próprios habitantes;
  • Promover um novo fôlego para a cultura de uma cidade;
  • Promover o turismo.

Como funciona

Designação das Capitais Europeias da Cultura nos Estados Membros da UE.

Seis anos antes do título do ano, os Estados Membros seleccionados para acolhimento publicam um convite à apresentação de propostas, geralmente através de seu Ministério da Cultura. As Cidades interessadas em participar no concurso devem apresentar uma proposta para apreciação.

Os pedidos apresentados são avaliados segundo um conjunto de critérios estabelecidos, durante a fase de pré-selecção, por um painel de peritos independentes do domínio da cultura. O painel concorda com uma pequena lista de cidades, as quais são então convidadas a apresentar candidaturas mais detalhadas.

O painel avalia candidaturas finais e recomenda uma cidade por país anfitrião para o título. A cidade recomendada é então formalmente designada como Capital Europeia da Cultura.


O papel da Comissão Europeia é assegurar que as regras estabelecidas a nível da UE sejam respeitados durante todo o processo.

Da designação à implementação ...

As Capitais Europeias da Cultura são formalmente designadas quatro anos antes do ano em que ocorrem as actividades. Este período é necessário para o planeamento e preparação de um evento tão complexo. O painel, apoiado pela Comissão Europeia, tem um papel contínuo de apoio às Capitais Europeias da Cultura, prestando aconselhamento e orientação e fazendo um balanço dos trabalhos de preparação.

No fim do período de acompanhamento o painel irá considerar a possibilidade de recomendar ou não que a Comissão Europeia pague o prémio Mercouri Melina (actualmente €1,5 milhões, financiado pelo programa da UE Europa Criativa).

... à avaliação dos resultados

Anualmente, a Comissão Europeia publica um relatório de avaliação sobre os resultados das Capitais Europeias da Cultura do ano anterior. Após 2019, serão as cidades a realizará a sua própria avaliação e a enviá-la à Comissão até ao final do ano seguinte ao do título.


O que foi feito até agora

A iniciativa foi desenvolvida em 1985 e até à data o título foi atribuído a mais de 50 cidades em toda a União Europeia.

As Capitais Europeias da Cultura já foram designadas até 2019:

  • 2016 - Donostia-San Sebastián (Espanha) e Wroclaw (Polónia)
  • 2017 - Aarhus (Dinamarca) e Paphos (Chipre)
  • 2018 - Leeuwarden (Holanda) e Valetta (Malta)
  • 2019 - Plovdiv (Bulgária) e Matera (Itália)

Um novo quadro para a iniciativa, pós 2019, foi adoptado pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho, em Abril de 2014, o qual inclui a lista cronológica de Estados membros que pode hospedar o título a partir de 2020 e até 2033. A Croácia e a Irlanda vão acolher o evento em 2020, e lançaram as suas respectivas competições em Junho e Dezembro de 2014. A Roménia e a Grécia vão sediar o evento em 2021 e lançaram suas competições nacionais em Dezembro de 2014. O Luxemburgo e a Lituânia vão acolher o evento em 2022, e lançaram suas respectivas competições em Julho de 2015.

Mais informações: http://ec.europa.eu/programmes/creative-europe/actions/capitals-culture_en.htm