Política de privacidade

A garantia da confidencialidade dos dados pessoais dos utilizadores do nosso sítio na Internet é importante para o Centro de Informação Europa Criativa.

Todas as informações pessoais relativas a membros, assinantes, clientes ou visitantes que usem o sítio na Internet do Centro de Informação Europa Criativa serão tratadas em concordância com a Lei da Proteção de Dados Pessoais em vigor.

A utilização do sítio na Internet do Centro de Informação Europa Criativa pressupõe a aceitação deste Acordo de Privacidade.


A Newsletter

De acordo com a sua política de privacidade o Centro de Informação Europa Criativa (CIEC)  assegura que os dados pessoais recolhidos com a subscrição da sua newsletter destinam-se exclusivamente ao envio da mesma.

Os dados pessoais são os adequados ao fim para o qual foram recolhidos e serão usados exclusivamente para esta finalidade e para nenhuma outra, sendo mantidos apenas pelo tempo necessário à sua finalidade.

O titular dos dados pode solicitar o acesso, alteração ou destruição dos seus dados em qualquer momento, através do endereço electrónico: geral@europacriativa.eu ou utilizando o botão “Cancelar Subscrição” que se encontra  na página Subscrever newsletter ou ainda utilizando o link disponibilizado para o efeito em cada newsletter enviada.


Ligações a websites de terceiros

O sítio na internet do Centro de Informação Europa Criativa possui ligações para outros sites, os quais podem conter informações e ou ferramentas úteis para os nossos visitantes. A nossa política de privacidade não é aplicada a sites de terceiros, pelo que, caso visite outro site a partir do nosso deverá ler a politica de privacidade do mesmo. O Centro de Informação Europa Criativa não é responsável pela política de privacidade ou conteúdo presente nesses mesmos sites.

Marca do Património Europeu - A Europa começa aqui!

European Heritage Label - Europe starts here!

Descrição

Desde 2013 a classificação de Marca do Património Europeu identifica marcos na criação da Europa. Abrangendo desde os primórdios da civilização até à Europa que vemos hoje.

(Carta de abolição da pena de morte em Portugal aprovada em 1867. Arquivos Nacionais Torre do Tombo, Lisboa, Portugal.)


O que faz com que a Marca do Património Europeu seja original e diferente da Lista do Património Mundial da UNESCO?

Três diferenças fundamentais:

  • Os marcos classificados trazem vida à narrativa Europeia e à história por trás deles;
  • São muito mais do que estética;
  • O foco é sobre a promoção da dimensão europeia dos marcos e a promoção do acesso aos mesmos. Tal inclui a organização de uma ampla gama de actividades educacionais, especialmente para os jovens.

As Marcas do Património Europeu podem ser apreciadas isoladamente ou como parte de uma rede. Os visitantes podem obter uma sensação real da amplitude e escala do que a Europa tem para oferecer e o que alcançou.

Os marcos nos países participantes são pré-seleccionados a nível nacional, a cada dois anos, com um máximo de dois marcos pré-seleccionados.

- Lista de Marcas do Património Europeu: http://ec.europa.eu/programmes/creative-europe/actions/heritage-label/index_en.htm

- Coordenador Nacional da Marca do Património Europeu :
Mestre Maria de Lurdes Camacho
Directora de Serviços de Relações Internacionais
GEPAC - Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais
lurdes.camacho@gepac.gov.pt
Telefone : +351 21 384 84 00

- Informações sobre o processo de candidatura: http://ec.europa.eu/programmes/creative-europe/actions/heritage-label/apply_en.htm

- Brochura (PDF)

 

Capitais Europeias da Cultura

 

 Descrição

A iniciativa Capitais Europeias da Cultura destina-se a:

  • Valorizar a riqueza e a diversidade da cultura na Europa;
  • Celebrar as características culturais partilhadas pelos europeus;
  • Aumentar o sentimento de pertença a um espaço cultural comum dos cidadãos europeus;
  • Promover a contribuição da cultura para o desenvolvimento das cidades.

 

Além disso, a experiência tem mostrado que o evento é uma excelente oportunidade para:

  • Regenerar cidades;
  • Elevar o perfil internacional das cidades;
  • Melhorar da imagem das cidades perante os seus próprios habitantes;
  • Promover um novo fôlego para a cultura de uma cidade;
  • Promover o turismo.

Como funciona

Designação das Capitais Europeias da Cultura nos Estados Membros da UE.

Seis anos antes do título do ano, os Estados Membros seleccionados para acolhimento publicam um convite à apresentação de propostas, geralmente através de seu Ministério da Cultura. As Cidades interessadas em participar no concurso devem apresentar uma proposta para apreciação.

Os pedidos apresentados são avaliados segundo um conjunto de critérios estabelecidos, durante a fase de pré-selecção, por um painel de peritos independentes do domínio da cultura. O painel concorda com uma pequena lista de cidades, as quais são então convidadas a apresentar candidaturas mais detalhadas.

O painel avalia candidaturas finais e recomenda uma cidade por país anfitrião para o título. A cidade recomendada é então formalmente designada como Capital Europeia da Cultura.


O papel da Comissão Europeia é assegurar que as regras estabelecidas a nível da UE sejam respeitados durante todo o processo.

Da designação à implementação ...

As Capitais Europeias da Cultura são formalmente designadas quatro anos antes do ano em que ocorrem as actividades. Este período é necessário para o planeamento e preparação de um evento tão complexo. O painel, apoiado pela Comissão Europeia, tem um papel contínuo de apoio às Capitais Europeias da Cultura, prestando aconselhamento e orientação e fazendo um balanço dos trabalhos de preparação.

No fim do período de acompanhamento o painel irá considerar a possibilidade de recomendar ou não que a Comissão Europeia pague o prémio Mercouri Melina (actualmente €1,5 milhões, financiado pelo programa da UE Europa Criativa).

... à avaliação dos resultados

Anualmente, a Comissão Europeia publica um relatório de avaliação sobre os resultados das Capitais Europeias da Cultura do ano anterior. Após 2019, serão as cidades a realizará a sua própria avaliação e a enviá-la à Comissão até ao final do ano seguinte ao do título.


O que foi feito até agora

A iniciativa foi desenvolvida em 1985 e até à data o título foi atribuído a mais de 50 cidades em toda a União Europeia.

As Capitais Europeias da Cultura já foram designadas até 2019:

  • 2016 - Donostia-San Sebastián (Espanha) e Wroclaw (Polónia)
  • 2017 - Aarhus (Dinamarca) e Paphos (Chipre)
  • 2018 - Leeuwarden (Holanda) e Valetta (Malta)
  • 2019 - Plovdiv (Bulgária) e Matera (Itália)

Um novo quadro para a iniciativa, pós 2019, foi adoptado pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho, em Abril de 2014, o qual inclui a lista cronológica de Estados membros que pode hospedar o título a partir de 2020 e até 2033. A Croácia e a Irlanda vão acolher o evento em 2020, e lançaram as suas respectivas competições em Junho e Dezembro de 2014. A Roménia e a Grécia vão sediar o evento em 2021 e lançaram suas competições nacionais em Dezembro de 2014. O Luxemburgo e a Lituânia vão acolher o evento em 2022, e lançaram suas respectivas competições em Julho de 2015.

Mais informações: http://ec.europa.eu/programmes/creative-europe/actions/capitals-culture_en.htm

 

Prémio da União Europeia para a Literatura

European Union Prize for Literature (EUPL).

Descrição

O Prémio da União Europeia para a Literatura é uma iniciativa anual com vista ao reconhecimento dos melhores autores emergentes na Europa.

Lançado pela Comissão Europeia em 2009, o prémio está aberto a 37 países que participam no programa Europa Criativa. O prémio é organizado por um consórcio constituído pela European Booksellers Federation, pelo European Writers' Council, e pela Federation of European Publishers.


Objectivo

O prémio destina-se a:

  • Destacar a criatividade e a riqueza da diversidade da literatura contemporânea da Europa;
  • Promover uma maior divulgação da literatura europeia;
  • Ajudar as vendas transfronteiriças de livros;
  • Promover maior interesse em publicar, vender e ler obras literárias não nacionais.

Como funciona

Anualmente júris nacionais de um terço dos países participantes nomeiam os seus autores premiados (sob a administração do consórcio de gestão), assim permitindo que todos os países e línguas sejam representados a cada período de três anos.

Posteriormente, o júri do prémio selecciona um candidato de cada um dos países participantes com base nos requisitos estabelecidos pela Comissão Europeia.


Mais informações

Mais informações estão disponíveis no site do Prémio de Literatura da União Europeia.