Centro de Informação Europa Criativa

ir para conteudo
29-02-2024
Gabriela Ruivo representa Portugal no Prémio da União Europeia para a Literatura 2024 

O Prémio da União Europeia para a Literatura (European Union Prize for Literature - EUPL) revelou os nomeados para a sua edição de 2024, com Gabriela Ruivo a representar Portugal com o livro “A Lei da Gravidade”, editado pela Porto Editora.

Além de Portugal, concorrem ao prémio mais 12 escritores oriundos de 12 países, concretamente os seguintes:

  • Albânia: Rita Petro, "Lindur së prapthi" (Onufri)
  • Bulgária: Todor Todorov, "Хагабула" (Janet 45)
  • Dinamarca: heis Ørntoft, "Jordisk" (Gyldendal)
  • Alemanha: Deniz Utlu, "Vaters Meer" (Suhrkamp)
  • Hungria: Puskás Panni, "Megmenteni bárkit" (Magvető)
  • Islândia: María Elísabet Bragadóttir, "Sápufuglinn" (Una útgáfuhús)
  • Letónia: Daina Tabūna, "Raganas" (Ascendum)
  • Malta: Aleks Farrugia, "Ir-Re Borg" (SKS)
  • Países Baixos: holeh Rezazadeh, "Ik ken een berg die op me wacht" (Ambo | Anthos)
  • Sérvia: Bojan Krivokapić, "Vila Fazanka" (Areté)
  • Eslovénia: Tina Vrščaj, "Na klancu" (Cankarjeva založba)
  • Tunísia: Arbia Braham, "Jebel El Milh" (Editions Arabesques")

A sinopse do livro “A Lei da Gravidade”, lançado no ano passado, é a seguinte:

«Será a vida que imita a literatura, ou o contrário?

O que terão em comum um velho à beira da morte numa cama de hospital, o escritor de um bestseller, um pré-adolescente inquieto e um menino de dois anos com um fascínio por livros? Que destino espera as amigas Maria Ana e Ana Maria – o espelho uma da outra? Conseguirá uma livrar-se do marido agressor, e a outra do sofrimento da perda? E Marinela? E Mariana? E a mãe solteira que existe em todas elas, fruto de um abandono continuado? E o pai, protagonista do descalabro? E o futuro, que teima em ser passado, e o passado, que teima em ser futuro?

O tempo é o grande mistério. É ele que se ri de nós do outro lado do espelho, no reflexo onde procuramos o sentido da existência e que teima em nos devolver a imagem do absurdo. É também ele que perpetua um incessável padrão de violência, que faz com que a mesma história se repita uma e outra vez, lutando contra a esperança do leitor de que o ciclo, por fim, se quebre.

Neste ousado e original romance, Gabriela Ruivo oferece-nos com maestria um universo alternativo onde o tempo se sujeita à lei da gravidade – a força motriz que agrega passado, presente e futuro, e dissolve os contornos da realidade – e convida-nos a explorar outros mundos no interior dos conceitos de espaço e de tempo e, em última análise, da própria Literatura.

O ABANDONO. O DESEJO DE LIBERDADE. E O MEDO DA SOLIDÃO QUE NOS PRENDE NUM CICLO DE VIOLÊNCIA.»

O vencedor do Prémio da União Europeia para a Literatura será revelado a 04 de Abril, na Feira do Livro de Bruxelas.

Lançado pela Comissão Europeia em 2009, o EUPL desenrola-se em ciclos trienais, engloba 41 países participantes no Programa Europa Criativa e tem um vencedor por país. O prémio tem como objectivos:

  • Mostrar a diversidade e a riqueza da ficção contemporânea europeia
  • Aumentar a visibilidade dos autores vencedores fora do seu país de origem, ajudando-os a atravessar fronteiras e a chegar a um público mais vasto
  • Promover a publicação, a tradução, a venda e, em última análise, a leitura de livros de outros países europeus
  • Incentivar a circulação transnacional de literatura, na Europa e no resto do mundo

Em relação a selecção dos autores, todos os anos, para um terço dos países participantes, são constituídos júris nacionais compostos por especialistas em literatura, editores e livreiros. Depois de escolher uma lista restrita com dois a cinco livros de autores promissores do seu país, cada júri selecciona o vencedor nacional (todos os laureados do ano são anunciados coletivamente pela Comissão Europeia).

O EUPL é organizado por um consórcio constituído pela European Booksellers Federation, pelo European Writers' Council e pela Federation of European Publishers, responsáveis pela criação dos júris nacionais e pela organização prática da cerimónia de entrega dos prémios.

Dulce Maria Cardoso, em 2009, Afonso Cruz, em 2012, David Machado, em 2015, e Frederico Pedreira, em 2021, foram os autores portugueses distinguidos com o Prémio da União Europeia para a Literatura (de referir que, a partir de 2022, a organização introduziu uma mudança nos EUPL, com um júri a atribuir um vencedor geral, acompanhado de cinco menções especiais).

Entretanto, refira-se que a call  Circulação de Obras Literárias Europeias, cujo objectivo é fornecer apoio financeiro para traduzir, publicar e distribuir obras de ficção (romances, contos, teatro, peças de rádio, poesia, banda desenhada, literatura para jovens adultos, etc) de e para as línguas oficiais dos países participantes no Europa Criativa, está aberta até o dia 16 de Abril de 2024 (toda a informação aqui).

Gabriela Ruivo representa Portugal no Prémio da União Europeia para a Literatura 2024 
Gabriela Ruivo representa Portugal no Prémio da União Europeia para a Literatura 2024 
Gabriela Ruivo representa Portugal no Prémio da União Europeia para a Literatura 2024